Cinco dicas para inovar em eventos corporativos

Os ilusionistas Klauss Durães e Henry Vargas dão dicas para inovar na criação de efeitos mágicos personalizados e tornar os eventos corporativos memoráveis

Promover um evento de tirar o fôlego não é uma tarefa fácil, principalmente no meio de eventos corporativos. No entanto, sempre é possível inovar. Afinal, esses tipos de encontros são ótimos para a divulgação de marcas e produtos, integração e treinamento. Os ilusionistas Klauss Durães e Henry Vargas, fundadores da Ilusion, empresa especializada na criação de efeitos mágicos personalizados, dão cinco dicas para fazer um evento memorável.

“O principal desafio de quem planeja eventos corporativos é conseguir chamar e prender a atenção dos participantes de forma que eles se esqueçam de seus celulares”, diz Henry. Quando uma empresa decide realizar uma apresentação, seu primeiro passo é definir a experiência que será oferecida aos participantes. Ir pelo caminho comum, seguindo um padrão na execução, pode impedir que o evento se destaque, por isso o ilusionismo é uma boa opção.

O envolvimento do público é a garantia de que ele será lembrado no futuro. Independentemente do objetivo do evento, a intenção, além de informar, é impressionar os presentes. Surge então a dúvida: como colocar tudo em prática de maneira inovadora? Confira abaixo: 

Invista no espaço

Que tal sair do convencional e apostar em um local moderno? Os teatros e os escritórios compartilhados, conhecidos como coworkings, são ótimas opções. Ambientes despojados podem dar um novo espírito ao seu evento. Surpreenda o público investindo em uma estrutura, que além de proporcionar comodidade e conforto, também inspire inovação.

Faça um evento memorável

O envolvimento do público é a garantia de que o evento será lembrado no futuro (Iago Fundaro)

Ao organizar uma apresentação, o planner precisa estar atento aos pontos de alta energia do evento. É nesse momento que o público está totalmente envolvido. “O papel do organizador é deixar a atração mais interessante do que qualquer outra coisa que as pessoas pudessem estar fazendo”, afirma o ilusionistas. E essa motivação não é uma atitude que funciona de fora para dentro.

Não é possível convencer alguém a assistir a uma palestra de três horas apenas dizendo que isso será bom para a carreira dela. Para atrair a atenção do público, é preciso pensar em apresentações memoráveis. Por isso, o organizador precisa estar sempre ligado nas novidades do mercado. 

Henry é Campeão Internacional de Mágica e conquistou os primeiros lugares nos campeonatos de Las Vegas, EUA e Xangai (Iago Fundaro)

Entregue um diferencial

É muito comum as empresas apostarem em atrações com celebridades e grandes nomes do mundo empresarial. Essa é uma estratégia bacana, mas é muito pontual e nem sempre consegue representar a encontro como um todo.

Contar com um ilusionista é uma dica interessante para atrair mais a atenção do público. Este tipo de profissional tem a capacidade de elevar a energia do evento nos intervalos e ainda interligar as temáticas, o que ajuda na fixação do conteúdo.

Klauss Durães é bicampeão brasileiro, vice-campeão colombiano e bicampeão argentino de ilusionismo

Use e abuse da tecnologia

Klauss Durães e Henry Vargas decidiram investir no mercado de eventos corporativos. Em um dos seus shows, os ilusionistas utilizaram cenários e interações com hologramas que encantaram os participantes de forma mágica e disruptiva. Apresentações corporativas possuem a tendência de serem mais densas, com uma grande carga de informação. No início, todos estarão na expectativa, mas ao longo do dia, o cansaço pode ser desanimador. Por isso, valorize momentos leves e extrovertidos para que a atenção volte ao ponto central.

Um grande aliado para o sucesso de qualquer evento é a tecnologia. Realidade virtual, hologramas, painéis interativos, telas touch screen, drones, aplicativos, robôs, impressoras 3D. Na era da hiperconectividade, é necessário ser criativo para manter o foco dos participantes no conteúdo através de ferramentas inovadoras. Sair do padrão e abusar da interatividade é fundamental.

Um exemplo é o uso de hologramas. Definidos como imagens tridimensionais obtidas a partir da projeção da luz sobre figuras bidimensionais, eles são vistos como “miragens” ou “ilusões” bastante realistas, por reproduzirem imagens 3D diferenciadas. Com eles, é possível trazer pessoas e cenários até então impensáveis para um evento.

Valorize momentos leves e extrovertidos para que a atenção volte ao ponto central (Iago Fundaro)

Distribua bem os conteúdos

Distribuir os conteúdos adequadamente também é muito importante. Os organizadores precisam estar atentos para que assuntos correlatos não sejam apresentados ao mesmo tempo. Além disso, existem alguns cuidados com relação aos horários para apresentar cada tema. Algumas ações são mais indicadas pela manhã, outras pela tarde. Há ainda aquelas que precisam ser evitadas após o almoço.

Geralmente, as pessoas estão mais animadas na parte da manhã, já que o evento está apenas começando e elas acabaram de sair de uma abertura empolgante. Neste momento, o ideal é colocar atrações mais informativas, que precisam de um pouco mais de atenção. Já no final da tarde, é comum o público está mais cansado e apressado. Então seria melhor trabalhar com atividades mais enérgicas e menos cognitivas.